PORTIFÓLIO DO DIEGO

NESTE BLOG, VOCÊ ENCONTRARÁ UM CONTEÚDO ACADÊMICO, INFORMATIVO E REFLEXIVO.NÃO SE ESQUEÇA DE COMENTAR.

Translate This Page

terça-feira, 23 de agosto de 2011

O nascimento do Átomo


ato6m.gif (38449 bytes)Desde os primórdios o homem criou várias perguntas sobre sua existência e a existência das coisas.
Alguns questionamentos foram sanados, outros estão tentando ser e alguns nunca serão resolvidos, alguns questionamentos são: De onde viemos? Como viemos? Para onde vamos? Qual o propósito de tudo isto? Existe um criador para tais criaturas?...
Uma destas perguntas foi: Qual a origem de tudo?
No conhecimento ocidental tudo começa na Grécia por volta do século VI antes da era cristã, a origem desta pergunta começa na Filosofia, tempo dos pré-Socráticos, antes do filosofo Sócrates, não podemos desconsiderar os feitos que estes filósofos fizeram para o conhecimento moderno.
Estes pré-socráticos foram: Tales, Anaximandro e Anaxímenes, todos eram de Mileto cidade da Grécia antiga. Pouco se sabe sobre estes filósofos, seus feitos e suas idéias foram passadas mais tarde por outros filósofos posteriores.
Estes filósofos possuíram um ponto de vista em comum: ensinavam que todas as coisas se originam em uma única matéria primordial, que seria o "princípio" ( em grego, arche* palavra "arqueologia" significa principio)
A idéia básica pode ser esclarecida por meio de uma comparação. Suponhamos que só existisse argila no mundo e que, a partir dela, fosse continuamente modelados diferentes tipos de objetos, que depois seriam desmanchados para dar origem a outros objetos. Essa argila seria o arche ou seja o principio e também o fim de tudo. Dois séculos depois essa idéia foi assim descrita por Aristóteles:
 "A maioria dos primeiros filósofos pensava que os princípios de todas as coisas eram certos princípios materiais. Eles declararam que o elemento e primeiro princípio das coisas que existem era uma substância que continuava sempre a existir, mas mudava suas qualidades, sendo a fonte original de todas as coisas . que existem, a partir da qual uma coisa surge e na qual ela finalmente se decompõe. Por esta  eles consideravam que não existe um surgimento ou desaparecimento absoluto, tomando como base que essa natureza sempre é preservada. Pois deveria existir alguma substância natural - ou uma, ou mais de uma - a partir da qual as outras coisas surgem, mas se conserva"

É meus caros e minhas caras, aqui nesta citação de Aristóteles existem as fundações das idéias que utilizamos até os dias atuais, os elementos das matérias nunca se perdem, são apenas modificados ou voltam ao seu estado de origem, mas nunca se perdem para sempre. Eis ai o princípio da teoria Atômica atual que além de ter um grande vigor cientifico é considerada como a verdade atual da criação.
Mas estas idéias não eram aceitas por todos, na época atual ainda existe isto, ou você acha que a teoria da relatividade de Eisntein foi simplesmente aceita sem questionamentos? Toda idéia só é bem quista após anos de trabalho em cima procurando falhas e meios de ser esquecida, ao menos que você seja um grande gênio e mostre ao contrário, será que Eisntein foi um gênio?
Tales afirmava que a matéria inicial era a água. Mas de onde este maluco tirou esta idéia? Não se sabe. Mas segundo Aristóteles, Tales se baseou em duas coisas: primeiro, que todos os seres vivos precisam  de umidade para viver; segundo, que a origem  dos seres vivos é a umidade, pois os animais nascem do sêmen, que é um liquido, e as sementes não germinam sem umidade. Assim, a água seria aquilo de onde se origina a vida e que é necessária para manter todos os seres vivos.
Como podemos observar ele não era tão maluco assim, para época idéias como esta eram revolucionarias, esqueça tudo o que você sabe, todos os sites e livros que conhece, e o estudo que teve e tente pensar sobre a origem das coisas, verá que não é algo tão simples assim, e que esses caras não eram simplesmente idiotas. Pelo contrário foram de idéias idiotas como esta que nosso conhecimento científico avançou te tal modo.
Mais tarde veio o Filosofo Empédocles, Empédocles viveu no século V antes da era cristã. Ele é considerado o primeiro filosofo grego a apresentar  a concepção dos quatro elementos materiais (terra, água, ar e fogo). Esses quatro elementos são descritos como as "raízes" de todas as coisas. São associados a quatro divindades: Zeus(fogo), Hera(ar), Aidoneus ou Hades(terra) e Nestis(água).
O universo, para Empédocles é cíclico: há  momentos em que as "raizes", brotam a partir  de uma unidade e constituem todas as coisas; há outros momentos em que elas se reúnem e formam uma unidade novamente, desaparecendo todas as coisas. Seria  um ciclo infinito para a origem de tudo, claro, através dos quatro elementos. E segundo Empédocles, para cada tipo de animal e ser vivo se reunia uma certa quantidade de cada elemento e dai se criaria cada coisa, era uma espécie de proporção ou mistura para cada coisa virar cada coisa.
O atomismo grego se inicia com Leucipo de Mileto e Democrito de Abdera, ambos século V antes da era cristã.  Pouco se sabe sobre eles, mas foram os primeiros a admitir que existiam uma espaço vazio no universo ou seja, o vácuo para nós atualmente, eles propuseram que existiam partículas eternas e imutáveis que viajavam neste espaço vazio, diferente de outros filosofos que admitiam que todas as coisas eram concebidas atráves de outras coisas, com o espaço sempre preenchido, diferente de Leucipo e Democrito.
Leucipo e Democrito admitiam que os as partículas infinitas ou seja o Átomo( Átomo= inseparáveis ou indivisível) , estes Átomos eram feitos de formas geométricas e entre cada forma ou cada junção existia o espaço vazio ou seja o vácuo.Nesta concepção todas coisas se originavam através da junção destas formas geométricas e cada forma era formada de um dos quatro elementos, formando a união primordial de todas as coisas.
Mais tarde veio os átomistas mais importântes, Lucrécio e Epicuro que viveram 341 e 80 antes de cristo, eles acreditavam na existência  da partícula primordial indivisível da qual tudo se originava, acreditavam em uma esfera maciça da qual não se dividia e se unia formando tudo o que se existia, e quando isto morreria estas partículas maciças voltavam a ser o que eram antes.
Devemos pensar que estas idéias foram revolucionarias para a época, não era qualquer pessoa que conseguiria pensar isto, propor tais afirmações, antes destes filosofos ninguém havia imaginado tais concepções sobre a origem das coisas, eles inclusive já imaginavam que poderia existir outros mundos assim como o planeta. Leupucito e Democrito ainda afirmavam que a alma era composta por átomos, seu argumento era que se a alma não fosse constituída por átomo o corpo não poderia agir sobre a alma e nem a alma sobre o corpo. Eles acreditavam que a alma fosse espalhada pelo corpo semelhante o alento da respiração. A morte seria a alma que se desintegrou do corpo e organismo voltando ao seu estado natural e se dispersado pelo o mundo.
Mas qual o objetivo de tais conhecimentos? Segundo Epicuro, é a tranquilidade que vem do conhecimento, e toda pessoas que não tem conhecimento dos fenômenos naturais acreditam em Deuses  e ficam sujeitas ao medo.
As idéias principais da filosofia atomista era gerar um certo tipo de conforto para as pessoas através do conhecimento, com explicações racionais de todas as coisas, afim de perderem o temor por deuses mostrando que tudo acontecia por um sistema mecânico onde todas as coisas se originariam através de eventos naturais e que não existem Deuses para regir todo este sistema.
O principio do nascimento do Átomo foi este, gostaria de ressaltar que por mais que estas idéias transpareçam idéias insignificantes, foram atráves delas que o conhecimento racional hoje acumulado existe e que não devem ser descartadas.

Comente sobre o post!

Obrigado,

Diego Elias

Referencia:
Livro, O Univeso, Roberto Martins
Imagens:
http://www.educacional.com.br/recursos/conteudomultimidia/21/quimica/modelos/impressao/impressao.htm
http://comciencias.blogspot.com/2009/08/origem-do-atomismo-esta-na-linguistica.htm
http://dererummundi.blogspot.com/2011/01/2400-anos-de-atomismo.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário