PORTIFÓLIO DO DIEGO

NESTE BLOG, VOCÊ ENCONTRARÁ UM CONTEÚDO ACADÊMICO, INFORMATIVO E REFLEXIVO.NÃO SE ESQUEÇA DE COMENTAR.

Translate This Page

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

NINGUÉM É DONO DA VERDADE

Dois coleguinhas de classe, Diego e Gustavo, faziam um trabalho escolar sobre as leis de trânsito. A professora distribuiu papel e lápis para todos, e cada criança pintou seu próprio semáforo. Diego então, olhando para o trabalho do colega, disse:
- Eo! Gustavo, você pintou errado. O farol de cima é vermelho e não verde.
Gustavo respondeu:
- Foi o que eu fiz, pintei o farol de cima de vermelho.
- Não, você é um mentiroso, pintou de verde, está errado! - teimava Diego, enquanto Gustavo jurava que havia pintado de vermelho.
E a discussão foi tomando tal proporção que a professora teve de intervir. Ao se inteirar do motivo de celeuma, ela chamou Diego e disse-lhe:
-Seu colega está dizendo a verdade quando diz que pintou o farol de vermelho, porque o que ele vê é isto mesmo, o vermelho;portanto, está sendo sincero. O que você não sabe, Diego é que seu colega é daltônico, quer dizer, ele troca as cores: o que para você é verde, para ele parece vermelho.

Pensamento: Cada pessoa olha o mundo através de sua história de vida; portanto cada um vê uma mesma de várias formas diferentes.







Para aqueles que leem meu blog gostaria de deixar ai a explicação sobre o daltonismo.
Quero deixar claro que não sou nenhum cientista e perito sobre o assunto e para não falar bobeira peguei a explicação do Portal São Francisco que explica bem sobre esta doença, ainda pouco conhecida.


Daltonismo


daltonismo é uma deficiência na visão que dificulta a percepção de uma ou de todas as cores.
Durante séculos, os problemas relacionados com a visão das cores não encontraram mais que soluções e interpretações puramente empíricas.
Foi somente por volta de 1801 que o físico inglês Thomas Young formulou, em termos de hipótese, a primeira explicação científica para a sensibilidade do olho humano às cores.
Cerca de cinqüenta anos mais tarde, Hermann von Helmholtz, físico e fisiologista alemão, se encarregaria de desenvolver essa hipótese e convertê-la em teoria, que se tornou universalmente aceita.
Daltonismo - Figura Ilustrativa II
Segundo a teoria de Young-Helmholtz, a retina possui três espécies de células sensíveis - os cones.
Cada uma delas seria responsável pela percepção de uma dada região do espectro luminoso. Essas regiões seriam o vermelho. o verde e o azul.
Estas seriam as cores primárias, que, por combinações, originariam todos os outros tons cromáticos. Embora a teoria de Young-Helmholtz tenha sido contestada, ela se ajusta, ainda hoje, aos fenômenos observados.
Daltonismo - Figura Ilustrativa III
Os estímulos imediatos da percepção visual são os feixes luminosos que, depois de passarem pela pupila, incidem na retina. É ali que a energia luminosa se converte em sinais elétricos, responsáveis pela atividade neural.
Os impulsos neurais, provenientes da retina, são então encaminhados ao cérebro, que os interpreta e classifica.
A cor que você vê depende de quanto é excitada cada espécie de cone.
Quando você olha para a luz vermelha, somente os cones de suas retinas sensíveis ao vermelho enviam mensagens para o cérebro.
Se você olhar para uma luz verde, os cones sensíveis ao verde responderão. Os cones sensíveis ao azul responderão à luz azul mais intensamente.
(Sensibilidade dos cones)
Sensibilidade dos cones
Nem todas as pessoas vêem as cores da mesma maneira. Aproximadamente 10% dos homens e 1% das mulheres apresentam algum grau de deficiência na avaliação das cores. Essa deficiência chama-se daltonismo. Nas pessoas daltonicas os cones não existem em número suficiente ou apresentam alguma alteração.
O tipo mais comum de daltonismo é aquele em que a pessoa não distingue o vermelho do verde.
Aquilo que, para uma pessoa é normal, é verde ou vermelho, para esse daltônico é cinzento em várias tonalidades.
O motorista com esse tipo de daltonismo pode contornar o problema de distinguir as luzes do semáforo observando suas posições, pois pelas cores não é possível. Em número menor, existem daltônicos que confundem o azul e o amarelo.
Um tipo raro de daltonismo é aquele em que as pessoas são completamente "cegas" para as cores: seu mundo é em preto, branco e cinzento.
Existem testes especiais que permitem detectar se uma pessoa é ou não daltônica. A figura seguinte, por exemplo, serão observadas diferentemente por pessoas de visão normal e por aqueles que sofrem de daltonismo.
74
Fonte: geocities.yahoo.com.br

Você identifica o número 74 no interior do círculo abaixo de pontos coloridos?

Não?
Então você pode ter um tipo de deficiência para visão de cores conhecida como daltonismo.
Daltonismo

O que é daltonismo?

É uma condição em que certas cores, principalmente o verde e o vermelho são confundidas.
É uma deficiência hereditária de transmissão bastante peculiar, homens daltônicos vão transmitir o gene do daltonismo somente para suas filhas, nunca para os filhos (esse gene está sempre no cromossomo X).
As filhas não manifestam nunca o daltonismo, mas têm uma chance de 50% de transmiti-lo para seus filhos homens.
Na retina humana normal existem receptores sensíveis às cores, os cones, que contêm pigmentos seletivos para a cor verde, vermelha e azul.
A deficiência de cores ocorre quando há uma redução na quantidade de um ou mais desses pigmentos. Conhecido também como "cegueira para as cores" o daltonismo não é tido como uma deficiência física de grande significado apesar de dificultar, e muitas vezes impossibilitar, uma série de atividades profissionais e do dia-a-dia.
Apesar de não existir nenhum tratamento, recursos ópticos foram desenvolvidos para facilitar a identificação das cores.

Referencias:

Livro: Para que minha vida se transforme/Autores: Maria Salete e Wilma Ruggueri Ed.Versus 22ed
Fonte: www.oftalmocuritiba.com.br

Retirado: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/daltonismo/ acessado dia 23/11/11 ás 02:16.



Nenhum comentário:

Postar um comentário