PORTIFÓLIO DO DIEGO

NESTE BLOG, VOCÊ ENCONTRARÁ UM CONTEÚDO ACADÊMICO, INFORMATIVO E REFLEXIVO.NÃO SE ESQUEÇA DE COMENTAR.

Translate This Page

domingo, 5 de agosto de 2012

O MEDO


Começo este texto com algumas palavras do filosofo René Descartes.


A covardia e o medo

Diametralmente oposta a coragem, a covardia é uma languidez ou uma frieza que evita que a alma realize aquelas coisas que realizaria caso estivesse livre dessa paixão é o medo ou pavor, que é contrário a ousadia, não é somente uma frieza, mas também uma perturbação e um assombro da alma que lhe retira a capacidade de resistir aos males que ela julga serem iminentes.

A utilização da covardia

Embora não consiga me convencer que a natureza haja fornecido aos homens certas paixões que sejam sempre viciosas e não tenham nenhuma utilização boa e digna de louvor, é difícil para mim descobrir em que essas duas podem ser uteis. Parece-me apenas que a covardia tem algum emprego quando nos livra de razões prováveis, se outras razões mais certas, que as fizerem considerar inúteis, não tivessem provocado esta paixão, pois, além de livrar a alma dessas atitudes, também serve para o corpo, já que, ao retardar o movimento dos espíritos, impede a dissipação de suas energias. Mas comumente é bastante prejudicial porque somente do fato de não se ter suficiente esperança ou desejo, é suficiente aumentar em si próprio estas duas ultimas paixões para corrigi-la.

A utilização do medo

No que diz respeito ao medo ou ao pavor, não atino como possa haver ocasiões em que seja digno de louvor e útil, por isso não se trata de uma paixão particular, mas apenas de um excesso de covardia, de assombro e de receio, que é sempre vicioso, assim como a ousadia é um excesso de coragem que é sempre bom, desde que seja bom o objetivo que se propõe, e com a principal causa do medo é a surpresa, não existe nada melhor para se livrar dele do que utilizar-se de premeditação e preparar-se para todos os eventos cujo temor possa provoca-lo.

O que é o medo? Vejamos a definição da raiz.
Medo(latim metus, -us) Estado emocional resultante da consciência de perigo ou de ameaça, reais, hipotéticos ou imaginários. = FOBIA, PAVOR, TERROR 2-Ausência de coragem (ex.: medo de atravessar a ponte). = RECEIO, TEMOR ≠ DESTEMOR, INTREPIDEZ 3- Preocupação com determinado facto ou com determinada possibilidade (ex.: tenho medo de me atrasar). = APREENSÃO, RECEIO
Pois bem, como vimos medo é um estado emocional resultante da consciência, ou seja da alma.
Mas qual o grande segredo de sentir medo? Qual o motivo de sentirmos medo? Até quando o medo é ruim? Até quando o medo é bom?
Primeiramente temos que ter em mente que nós seres humanos somos mamíferos, ou seja, animais; e como animais temos certas reações totalmente instintivas que por sermos animais carregamos em nossas origens estas reações por determinadas ações ou quase ações.
O medo é bom, graças ao medo nos chegamos a evolução física atual.
Se nos nossos primórdios não tivessem sentido medo provavelmente não estaríamos aqui para contar esta história.
O medo é uma alto defesa que as vezes precisamos ter para proteger nossa vida, em certos acontecimentos precisamos nos resguardar para que exista nossa proteção e integridade física.
Por este lado de sobrevivência animal o medo é bom, mas até quando é bom?
O medo é prejudicial a partir do momento que se entra na questão evolução espiritual e material.
Mas até quando o medo é bom ou ruim nestas duas questões?
O medo da evolução material é uma falha da nossa evolução espiritual, isso deve-se a nossa ignorância como seres conscientes, é preciso deixar claro que todos seres humanos são ignorantes isto é um fato declarado pois o argumento crucial é a busca para o aperfeiçoamento humano e espiritual, resumindo a evolução consciente.
A ideia principal é evoluir conscientemente, esta mesma consiste em conhecer a si mesmo, nosso mundo atual como toda tecnologia é possível evoluir muito na parte cientificam, pois temos inúmeras formas de tecnologia que nos traz o conhecimento de forma rápida e eficaz, mas o conhecimento de si mesmo já mais complicado, primeiramente por termos a dificuldade de aceitar nossa imperfeição e segundo por procuramos nas cinzas da alma nossas imperfeições.
Então vamos eu e você refletir sobre nos mesmos enquanto seres.
Nos humanos construímos ao decorrer dos séculos e milênios uma evolução fantástica de nosso espaço físico, tudo a troco da sobrevivência.
Pensemos: imagine você vivendo dentro de uma caverna fria, escura,sem comida, sem água e sem roupas.
Agora por necessidade você terá de tomar uma providencia, pois seu estomago te diz que precisa de comida, o escuro não te deixa tranquila pois pode aparecer um animal e atacar você, o frio pode trazer uma doença para seu corpo e a água é fonte de vida para todos seres orgânicos.
A necessidade faz o homem, dai o fogo para aquecer a caverna e clarear a mesma, a criação de um recipiente para guardar água para armazenar sem sair do local por um tempo, as roupas para aquecer e tudo mais.
O medo de morrer te levou a evoluir como humano e evoluir seu espaço físico e até hoje isto acontece, podemos dizer que até a evolução consciente seja um método, pois o mundo com alto teor de estresse  te leva a procurar uma paz de espirito.
Mas o lado do medo de morrer te leva a sobreviver mas te leva a morte da mesma forma.
Imagine se você não saísse da caverna por medo de enfrentar o mundo fora da caverna? Você morreria de fome, sede, frio e a chance de um animal atacar você não está descartada.
Acredito que o medo é mais prejudicial do que bom, pois quando não temos medo é como se a coragem tomasse o lugar, o medo pela sobrevivência carnal ou seja do corpo, entrando na questão vida deve sim ser levado em conta, mas o medo de evolução seja ela espiritual ou material deve ser trocado pela coragem.
Por quais motivos estou explanando esta questão? Pelos simples motivos que sem coragem ou sem ação de coragem nós consciências não vamos a lugar algum. Temos que deixar que a  coragem tome conta de nós mesmos, mas isso não é fácil, primeiramente deve-se querer, deve-se projetar na sua mente a coragem.
Quero frisar que você é o que você pensa, o comando ativo da consciência e do mundo físico carnal só existe pois primeiramente foi criado na metafísica, criado por um ou vários pensamentos.
Somos o que queremos ser, fazemos o que queremos fazer pois nós somos donos e ordenamos tudo.
O mundo é só seu, sim claro, somente seu, o mundo do seu amigo não é o mesmo mundo que o seu , pois sua visão de mundo de consciência não são iguais, pois seus pensamentos e ideias são até com mesmo tipo de raciocínio mas a forma de como você imagina nunca será igual.
Por que dizer isto, para deixar claro que o pensamento é dono  do poder, do seu poder, ou melhor da sua energia.
Me diga neste exato momento, para que servem os pensamentos? Tudo, simplesmente para tudo, tudo se inicia através deles.
Nos somos seres pensantes, nada é feito sem antes pensar, até certas ações mecânicas são feitas por pensamentos passados que se tornam tão banais que parecem impensados, mas são pensamentos antes existentes.
         Pensar é existência.
          Mas porque não sentir medo? O medo é um atraso de acontecimentos.
Pois certas oportunidades na vida são deixadas passar por medo de arriscar, medo do desconhecido.
O medo é existente simplesmente por um fato.
Nos não temos a história se é que posso chamar de história do nosso futuro.
O futuro é incerto portanto a origem do medo, medo de acontecer o inesperado no futuro.
Uma vez tive a oportunidade de ler alguns livros do e do Albert Einstein, e um destes livros estava escrito: “ Para conhecer o seu futuro, basta olhar o seu passado”[Albert Eisntein].
Pois bem, o futuro é incerto mas não impossível, antes de esclarecer este pensamento quero deixar claro que o agora não existe pois quando penso no agora ela já se tornou passado, tendo então passado e futuro.
O nosso futuro depende de nossas atitudes através do nosso bom senso.
Quais são seus desejos? Objetivos? Quais suas atitudes para alcança-los?
O futuro depende do seu passado ou o seu passado de agora que já se tornou passado.
Costumo trabalhar com energias, pensamentos são energias  que são lançadas ao universo até então infinito pois esta em expansão ao nada se não ao tudo que voltam algum dia até você.
Nossos pensamentos são ondas ou energias lançadas ao infinito que se somam e transformam nosso futuro.
Mas onde esta o bendito medo?
O medo desaparece no passado, como assim, no passado? O medo ficou passado, pois já sabemos que nossos pensamentos são energias e que se transformam em futuro.
Você pode indagar, mas como isto pode acontecer?
A resposta está nos questionamentos.
Como transformo minha vida? Como o futuro eu posso fazer como eu quiser? Como meus pensamentos criam o mundo físico? E onde está o medo que ficou no passado?
O medo deixou de existir, simplesmente pois como falha humana ou ignorância consciente o medo deixa de existir no momento em que você mudou seus pensamentos que foram para o universo transformando e potencializando em energias, que voltaram em sua vida e construíram seu futuro devido seus pensamentos do passado.
O medo deixa de existir quando você quis no passado que acontecesse coisas boas e fez por onde isso acontecer.
Tudo, absolutamente tudo depende de você, o medo existe quando você quer que ele exista.
Como fazer com que o medo não exista?
A resposta é simples, procure sua verdade, o conhecimento é tudo para a evolução consciente, mental e física. Nada se cria sem indagações e consequentemente respostas.
O medo é uma visão opcional, você pode ter ou não, só depende de você.
Nada vem sem esforço e vontade, o combustível é o desejo, desejo este  de ser alguém melhor um ser melhor, mais evoluído, pois tenha a certeza que se você esta lendo este texto é porque você tem algo muito importante a realizar na sua consciência viva ou seja sua vida.

Obrigado,

Diego Elias


Referências:

Os pensadores, René Descartes
http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=medo
Palestra ministrada sobre O Medo pela C.E.C(http://www.centrodeestudos.org/)

Imagens:
http://miguelbaganha.blogspot.com.br/2007/11/caminhando-para-o-medo-para-onde-vais.html
http://pablo.deassis.net.br/2011/08/medo-fobia-e-panico/
http://blog.cancaonova.com/padresostenes/tag/medo/

2 comentários:

  1. Gostei muito do texto, de toda a construção,
    um olhar profundo e simples sobre um conhecimento maduro.
    Abraços
    Helenice Queiroz

    ResponderExcluir
  2. Diego, gostei muito do seu blog.
    Os seus textos são excelentes!
    Estou aguardando o seu livro... Desejo que você invista no seu sonho e não permita que nada e ninguém tire o seu foco.

    Saudações poéticas

    ResponderExcluir