PORTIFÓLIO DO DIEGO

NESTE BLOG, VOCÊ ENCONTRARÁ UM CONTEÚDO ACADÊMICO, INFORMATIVO E REFLEXIVO.NÃO SE ESQUEÇA DE COMENTAR.

Translate This Page

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

O Fazendeiro e a Rosa

Certa vez a bela natureza com suas forças fez com que uma grande ventania encontrasse de frente com uma
plantação  de rosas, era na cidade de provanza na frança onde existem as mais belas rosas do mundo. O vento muito forte arrancou algumas rosas e consequentemente levou várias sementes ao para muito longe dali.
Uma destas sementes chegou em uma fazenda onde a cultura da terra era o milho, perto dali existia um fazendeiro muito dedicado com sua cultura de milhos, era a tradição da família e ele devido ter nascido no meio da ideia de plantar milho não aceitava trocar o ramo por ser uma tradição, mesmo que já não desse o lucro necessário.
Próximo de sua casa existia um pedaço de terra cercado onde o fazendeiro separava  a cultura de milho de sua casa.
Um dia pela manhã quando ele acordou, tomou seu café como era de costume e saiu para trabalhar em sua plantação, mas ao sair da porta se deparou com um broto de galho diferente e espinhoso, o fazendeiro logo jogou uma pedra em cima para que aquele broto não fosse para frente, pois ele imaginara que no futuro não daria certo e que ali não se encaixava um broto de um galho que continha espinhos.
Pois bem, o fazendeiro segui para sua rotina diária de trabalho como era de costume e esqueceu do broto, como havia colocado uma pedra no caminho  ela também achou que havia matado o broto de galho espinhoso.
O fazendeiro tinha um trator velho em sua fazenda que já não  usava e não tinha o que fazer, não tinha utilidade a não ser servir de  aconchego para os animais da fazenda.  Próximo da hora do almoço o fazendeiro com um outro trato que tinha comprado recente arrastou a lataria velha para um canto que não o atrapalhasse, e por coincidência colocará justamente por cima da pedra e do galho espinhoso, e ali ficou por algum tempo.
As estações passaram, foi se o inverno, outono, verão e primavera, muitos momentos se passaram, chuvas, sol, ventos,  granizos , as folhas trazidas pelos ventos compunha um tape belíssimo de folhas de todas as cores que por um milagre da natureza acabara por adubar a terra que já era fértil, e ali com o tempo o entulhe daquele trator velho por uma fonte inesgotável de vida se transformou num belíssimo cenário da própria beleza e inexplicável força da vida.
Um manto de rosas cobriram aquela lataria, aqueles espinhos que não tinham lugar, aquele broto trazido pela semente deu lugar a vida de belas flores de um grande aroma e extrema beleza modificando a vida daquele homem e de sua família.

Muitas pessoas o procuraram para apreciar a grande beleza daquele manto de rosas misturadas com um cenário rustico de uma lataria.
 Por um milagre naquele momento a força do inexplicável se uniu com uma duplo de opostos, uma lataria até então inútil e uma semente que por fora era feia e sem utilidade mas que por dentro guardava a mais pura e bela razão da beleza e esperança, que nasceria do meio do impossível para demostrar que apesar de grandes dificuldades a força da natureza ainda consegue ser maior e é justa com aquilo que tende apenas a demostrar o nascimento da vida.

Por fim, o fazendeiro no próximo ano investiu seu pequeno lucro da colheita dos milhos e em grandes e vastas plantações de rosas, onde mudou o destino de sua família, e por uma mera coincidência seus negócios progrediram e ele transformou sua pequena fazenda que a principio, não rendia nada além do necessário em um grande palácio de beleza e prosperidade, e aquele broto  jogado pelos os ventos que nascerá em um grande manto repleto de rosas se tornou cenário de uma maravilhoso ápice de deslumbres e motivação para muitas pessoas que ali passavam para apreciar a forma da existência da vida.



Nenhum comentário:

Postar um comentário